Sessão: Quarta-feira, 09 de dezembro de 2015

.: Pauta 1ª Comissão Disciplinar- 14 de Dezembro de 2015 :.

1ª COMISSÃO DISCIPLINAR

PAUTA DE JULGAMENTO DO DIA 14/12/2015

EDITAL DE CITAÇÃO/INTIMAÇÃO N° 115/2015 

De ordem do Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Doutor Paulo César Gradela Filho e nos termos dos arts. 45, 46 e seguintes do CBJD, faço  publicar o presente Edital em que são CITADAS E INTIMADAS as partes abaixo nominadas, para  que querendo apresente defesa pessoalmente, ou ainda, se fazer representar por advogado  de  defesa, via procuração expressa, no processo contra elas movido nesta Justiça Desportiva, tornando público através deste Edital, que:

 

No dia 14 DE DEZEMBRO DE 2015 ou na Sessão Subseqüente, a partir das 19:00 horas  (Segunda - Feira), serão julgados na sede do TJD/PR, sito na Avenida República Argentina,2153 – Portão, Curitiba, Paraná, os seguintes processos:

 

AUTOS N°.477/2015 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. CARLOS ALBERTO ZITTA

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL – SÉRIE B- JUVENIL- 2015

JOGO: CAXIAS FC X CA BAIRRO ALTO

DATA: 01/12/2015

DENUNCIADO (S):

VINICIUS B. REIKDAL

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. BRUNO CAVALCANTE DE OLIVEIRA

1° DENUNCIADO: VINICIUS B. REIKDAL, atleta da equipe do CAXIAS F.C., foi expulso aos 76’ por dupla advertência, após calçar o atleta adversário. Por assim agir, o atleta denunciado incorre na sanção prevista no artigo 258, ‘caput’, do CBJD.

 

AUTOS N°.480/2015 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MARCEL SOUZA DE OLIVEIRA

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL – SÉRIE B- JUVENIL- 2015

JOGO: GR IPIRANGA X SOBI SÃO BRAZ

DATA: 01/12/2015

DENUNCIADO (S):

GLÁUCIO ALEXANDRE VOLSKI

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. BRUNO CAVALCANTE DE OLIVEIRA

1° DENUNCIADO: GLÁUCIO ALEXANDRE VOLSKI, arbitro credenciado nesta Federação Paranaense de Futebol, por não comparecer na partida em questão, gerando atraso de mais de 1  (uma) hora para o início da mesma, aguardando a chegada de outro arbitro credenciado pela Federação Paranaense de Futebol. Frisa-se que os colegas do quadro arbitral tentaram por diversas vezes contato com o arbitro em questão, sendo que todas restaram infrutíferas. Por assim agir, a equipe denunciada incorre na sanção prevista no art. 261-A, §1.°, inciso II, do CBJD.

 

AUTOS N°.483/2015 – EM TRÂMITE                

AUDITOR RELATOR: DR. RAUL CLEI COCCARO SIQUEIRA

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL – MASTER- 2015

JOGO: SBE RIO NEGRO X UNIÃO CAPÃO RASO

DATA: 22/11/2015

DENUNCIADO (S):

ELCIO J. M. SOARES

ADILSON C. MAGALHAES

SBE RIO NEGRO

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. . RICARDO MAGNO QUADROS

1° DENUNCIADO: ELCIO J. M. SOARES, atleta do SBE RIO NEGRO, em seu relatório o árbitro afirmou que expulsou o denunciado, por reclamar contra o assistente nº 01, proferindo as seguintes palavras: ”vieram tudo acertado para roubar nós, vai tomar no cú”. Após a expulsão, disse ainda “vocês não vão sair daqui vivos”. Infringindo assim o conteúdo do artigo 243-F e 243-C do CBJD.

2° DENUNCIADO: ADILSON C. MAGALHAES, atleta do SBE RIO NEGRO, em seu relatório o árbitro afirmou que expulsou o denunciado aos 07 minutos do segundo tempo, por impedir uma oportunidade clara de gol.. Infringindo assim o conteúdo do artigo 250, § 1º, I do CBJD.

3° DENUNCIADO: SBE RIO NEGRO, segundo relato em súmula as redes estavam furadas. Infringindo assim o conteúdo do artigo 211 do CBJD.

 

AUTOS N°.486/2015 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MIGUEL ANGELO RASBOLD

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL -MASTER- 2015

JOGO: U. CAPÃO RASO FC X GR IPIRANGA

DATA: 08/11/2015

DENUNCIADO (S):

VANDERLAN F. FARIAS

U. CAPÃO RASO FC

U. CAPÃO RASO FC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MARCELO FONSECA GURNISKI

1° DENUNCIADO: VANDERLAN F. FARIAS, atleta com registro CBF nº MT0164, integrante da entidade de prática desportiva GR Ipiranga, por proferir as seguintes palavras contra o assistente nº 2 da partida: “vai tomar no cú, seu cego do caralho”, motivando a sua expulsão, aos 52’00’’ da partida. Por assim agir, incorre nas sanções previstas no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2° DENUNCIADO: U. CAPÃO RASO FC,  entidade de prática desportiva, por deixar de cumprir o artigo 13, do Regulamento da Competição, eis que não havia policiamento na partida, nem mesmo há prova da solicitação formal do pedido de policiamento, uma vez que o ofício entregue ao representante não consta o devido comprovante de recebimento por parte da Polícia Militar. Por assim agir, incorre nas sanções previstas no artigo 191, III, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3° DENUNCIADO: U. CAPÃO RASO FC,  entidade de prática desportiva, por deixar de cumprir o artigo 7º, incisos II e III, do Regulamento Geral das Competições da CBF – 2015 –, eis que havia pinturas de linhas adicionais no campo de jogo que, segundo o árbitro da partida, eram utilizadas para demarcar futebol americano e que dificultavam a visualização das linhas obrigatórias. Por assim agir, incorre nas sanções previstas nos artigos 191, III, e 211, ambos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N°.489/2015 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. CARLOS ALBERTO ZITTA

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL B – SÉRIE - ADULTO- 2015

JOGO: IMPERIAL FC X UBERLANDIA EC

DATA: 28/11/2015

DENUNCIADO (S):

WESLEI R. LACERDA

ABIMAEL W. DE MOURA

JOÃO C. Q. DA SILVA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MARCELO FONSECA GURNISKI

1° DENUNCIADO: WESLEI R. LACERDA, atleta com registro na CBF nº 324009, integrante da entidade de prática desportiva Uberlândia EC, por interceptar a bola com a mão, motivando a sua expulsão, por dupla advertência, aos 32’00’’ da partida. Por assim agir, incorre nas sanções previstas no artigo 250 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2° DENUNCIADO: ABIMAEL W. DE MOURA, atleta com registro na CBF nº 319371, integrante da entidade de prática desportiva Imperial FC, por levantar seu pé na altura do joelho do atleta adversário, de maneira imprudente, motivando sua expulsão, por dupla advertência, aos 46’00’’ da partida. Por assim agir, incorre nas sanções previstas no artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3° DENUNCIADO: JOÃO C. Q. DA SILVA, atleta com registro na CBF nº 293853, integrante da entidade de prática desportiva Uberlândia EC, por desferir um chute no tornozelo de seu atleta adversário, motivando a sua expulsão, por dupla advertência, aos 70’00’’ da partida. Por assim agir, incorre nas sanções previstas no artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

 AUTOS N°.492/2015 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MARCEL SOUZA DE OLIVEIRA

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL – SÉRIE A - ADULTO- 2015

JOGO: SOBE IGUAÇU X VILA FANNY

DATA: 21/11/2015

DENUNCIADO (S):

ROGÉRIO VIEIRA ALEXANDRINO

OSVALDECIR DA SILVA

JULIANO F. DOS PRAZERES

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. HENRIQUE CARDOSO DOS SANTOS

1° DENUNCIADO: ROGÉRIO VIEIRA ALEXANDRINO, Técnico da EPD VILA FANNY, Conforme relato em súmula, o Denunciado invadiu o campo de jogo sem autorização, e ofendeu o Sr. Árbitro em atitude hostil e completamente injustificada. “NORMAL, EXCETO QUE FOI EXPULSO O TÉCNICO DA EQUIPE DO VILA FANNY SR. ROGÉRIO VIEIRA ALEXANDRINO AOS 28 DO 2T POR INVADIR O CAMPO DE JOGO CORRER EM MINHA DIREÇÃO FALANDO ‘SEU FILHO DE PUTA VAGABUNDO LADRÃO EU VOU DAR UMA PORRADA’. O MESMO FOI CONTIDO POR SEUS JOGADORES. APÓS SER CONTIDO TENTOU NOVAMENTE CORRER EM MINHA DIREÇÃO E FOI SEGURADO NOVAMENTE, CHEGANDO BEM PRÓXIMO.” Por assim agir, incorre nas sanções previstas nos artigos 243-F e 258, §2º, inciso II e 258-B todos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2° DENUNCIADO: OSVALDECIR DA SILVA, atleta da EPD VILA FANNY, Conforme a Súmula da Partida, o atleta Osvaldecir da Silva, durante a confusão gerada pela expulsão do técnico supra referido, correu em direção do Sr. Árbitro, em atitude agressiva e reprovável: “FOI EXPULSO O ATLETA DO VILA FANNY DE N. 18 OSVALDECIR DA SILVA DE FORMA DIRETA AOS 75 MIN POR CORRER EM MINHA DIREÇÃO ME PEITANDO E DANDO UM TAPA EM MEU BRAÇO.”. Por assim agir, incorre nas sanções previstas nos artigos 254-A, §3º do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3° DENUNCIADO: JULIANO F. DOS PRAZERES, atleta da EPD VILA FANNY, Conforme relato sumulado, o atleta da EPD Vila Fanny, Sr. Juliano F. Prazeres, acabou por evitar a marcação de um gol adversário cometendo falta que lhe ocasionou então a exclusão da partida: O ATLETA DA EQUIPE DO VILA FANNY DE N. 09 JULIANO F. DOS PRAZERES FOI EXPULSO DE FORMA DIRETA AOS 89 MIN POR DAR UM CARRINHO ATINGINDO AS PERNAS DE SEU ADVERSÁRIO NA DISPUTA DE BOLA, IMPEDINDO UMA OPORTUNIDADE CLARA DE GOL DA EQUIPE ADVERSÁRIA.”. Por assim agir, incorre nas sanções previstas nos artigos 250, §1º, inciso I do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N°.495/2015 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. RAUL CLEI COCCARO SIQUEIRA

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL – SÉRIE B - ADULTO- 2015

JOGO: UBERLANDIA EC X IMPERIAL FC

DATA: 21/11/2015

DENUNCIADO (S):

OBERDAN T. J. R. LOPES

EVERTON P. MENDONÇA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RODOLFFO GARDINI FAGUNDES

1° DENUNCIADO: OBERDAN T. J. R. LOPES, atleta da EPD Uberlândia EC, o 1º Denunciado, conforme se extrai da Súmula do jogo e RDJ, foi expulso de campo de forma direta aos 84 minutos de jogo por agredir. Assim, relatou o árbitro, na súmula, ao justificar a expulsão do 1º Denunciado: “Aos 84 minutos de jogo, expulsei diretamente o jogador nº 16, Oberdan. T. J. R. Lopes, 298265 da equipe do Uberlândia EC por conduta violenta no adversário (nº 13), fora da disputa da bola e fora do jogo, desferir um pontapé atingindo o rosto do atleta.” Resta claro pelos relatos do Árbitro e Delegado da Partida na Súmula e no RDJ, que ambos os Denunciados praticaram agressão física contra adversários. No caso do 1º Denunciado, um pontapé no rosto do adversário. E no caso do 2º Denunciado, um soco na cabeça de outro adversário. E, em ambos os casos, fora da disputa da bola. E, constituindo-se em agressões físicas e configuradas as condutas típicas, o 1º Denunciado e 2º Denunciado devem sofrer as sanções previstas no artigo 254-A, §1º, I e II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

1° DENUNCIADO: EVERTON P. MENDONÇA, atleta da EPD Imperial FC, o 2º Denunciado, EVERTON P. MENDONÇA, atleta da EPD Imperial FC, por sua vez, segundo a Súmula do jogo, foi expulso diretamente pelo árbitro, aos 23 minutos de jogo, por “... fora da disputa da bola; e por conduta violenta desferir um soco no adversário nº 03 atingindo sua cabeça.”. Resta claro pelos relatos do Árbitro e Delegado da Partida na Súmula e no RDJ, que ambos os Denunciados praticaram agressão física contra adversários. No caso do 1º Denunciado, um pontapé no rosto do adversário. E no caso do 2º Denunciado, um soco na cabeça de outro adversário. E, em ambos os casos, fora da disputa da bola. E, constituindo-se em agressões físicas e configuradas as condutas típicas, o 1º Denunciado e 2º Denunciado devem sofrer as sanções previstas no artigo 254-A, §1º, I e II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N°.498/2015 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MIGUEL ANGELO RASBOLD

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL – SÉRIE B - ADULTO- 2015

JOGO: U. CAPÃO RASO X COMBATE BARREIRINHA FC

DATA: 21/11/2015

DENUNCIADO (S):

EDSON CAMILO DANTAS

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RODOLFFO GARDINI FAGUNDES

1° DENUNCIADO: EDSON CAMILO DANTAS, auxiliar técnico da EPD União Capão Raso, segundo a Súmula, foi excluído de campo por reclamar acintosamente das marcações da arbitragem. O Denunciado, conforme se extrai da Súmula do jogo, foi excluindo do campo de jogo, aos 40 minutos do 2º tempo, por levantar do banco de reserva para reclamar de forma repetitiva e acintosa das marcações do árbitro, dizendo, inclusive, que “...estava de sacanagem.”. Assim, configurada a conduta típica, o Denunciado deve sofrer as sanções previstas no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

 

 

 

 

 

Publicação: 09/12/2015 às 17:25