Sessão: Quinta-feira, 28 de abril de 2016

.: Pauta 2ª Comissão Disciplinar- 03 de Maio de 2016 :.

2ª COMISSÃO DISCIPLINAR

PAUTA DE JULGAMENTO DO DIA 03/05/2016

EDITAL DE CITAÇÃO/INTIMAÇÃO N° 24/2016 

De ordem do Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Doutor Paulo César Gradela Filho e nos termos dos arts. 45, 46 e seguintes do CBJD, faço  publicar o presente Edital em que são CITADAS E INTIMADAS as partes abaixo nominadas, para  que querendo apresente defesa pessoalmente, ou ainda, se fazer representar por advogado  de  defesa, via procuração expressa, no processo contra elas movido nesta Justiça Desportiva, tornando público através deste Edital, que:

No dia 03 DE MAIO DE 2016 ou na Sessão Subseqüente, a partir das 19:00 horas  (Terça - Feira), serão julgados na sede do TJD/PR, sito na Avenida República Argentina,2153 – Portão, Curitiba, Paraná, os seguintes processos:

AUTOS N°. 52/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: LUCIANO COSTENARO DE OLIVEIRA                                               

3ª COPA DE FUTEBOL AMADOR DA CAPITAL -2016

JOGO: UBERLÂNDIA EC X UNIÃO VILA SANDRA EC

DATA: 02/04/2016

DENUNCIADO (S):

TIAGO F. DE PAULA

UNIÃO VILA SANDRA EC

UBERLÂNDIA EC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MAURICIO MUSSI CORREA

1° DENUNCIADO: TIAGO F. DE PAULA, atleta Nº 18, da equipe da UNIÃO VILA SANDRA EC, expulso de forma direta da partida aos 85 minutos de jogo, após gritar contra o árbitro, dizendo: apita você essa porra aí caralho. Assim resta caracterizado nítida as letras do CBJD, em seu artigo 258,§ 2º, II.

2° DENUNCIADO: UNIÃO VILA SANDRA EC, APD, ante ao fato de que alguns de seus torcedores acenderam sinalizadores e soltaram fogos de artifícios durante o desenrolar do segundo tempo de jogo. Infringindo assim, a regra do CBJD, insculpida em seu artigo 213, §2º.

3° DENUNCIADO: UBERLÂNDIA EC, APD, por haver permitido que torcedores da equipe adversária adentrassem na praça esportiva portando sinalizadores e fogos de artifício. Por tal fato, resta infringida a regra do artigo 211 do CBJD.

 

AUTOS N°. 53/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: RENATO GALVÃO CARRILLO                                                           

CAMPEONATO PARANANENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL-1ª DIVISÃO-2016

JOGO: TOLEDO CW X CORITIBA FC

DATA: 03/04/2016

DENUNCIADO (S):

LUIZ R. A. OLIVEIRA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MARCELO FONSECA GURNISKI

1° DENUNCIADO: LUIZ R. A. OLIVEIRA, preparador físico integrante da entidade de prática desportiva Toledo CW, por proferir as seguintes palavras contra o assistente 01 da partida: “vai tomar no cú”, motivando a sua expulsão, aos 94’00’’ da partida. Por assim agir, incorre nas sanções previstas no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva

 

AUTOS N°. 64/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: HÉLIO ANJOS ORTIZ NETO

CAMPEONATO PARANANENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL-1ª DIVISÃO-2016

JOGO: PSTC X CORITIBA FC

DATA: 28/02/2016

DENUNCIADO (S):

PEDRO MARTINELLI CHRISTIANO

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MARCELO FONSECA GURNISKI

1° DENUNCIADO: PEDRO MARTINELLI CHRISTIANO, árbitro assistente da FPF, por, mesmo ter sido indicado como o árbitro assistente da partida, não comparecer para exercer suas funções legais. Por assim agir, incorre nas sanções previstas no artigo 261-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N°. 65/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: HÉLIO ANJOS ORTIZ NETO

CAMPEONATO PARANANENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL-1ª DIVISÃO-2016

JOGO: J.MALUCELLI S/A X PSTC

DATA: 09/04/2016

DENUNCIADO (S):

FABRÍCIO BARROS SANTANA

WELLINGTON L. DOS REIS

ELIZALDO VIEIRA DE SOUZA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. HENRIQUE CARDOSO DOS SANTOS

1° DENUNCIADO: FABRÍCIO BARROS SANTANA, BID 178321, atleta n. 01 da EPD J. Malucelli, Conforme a Súmula da partida, o goleiro Fabrício Barros Santana, da EPD J Malucelli S/A, como última medida de defesa acabou por impedir com falta oportunidade clara de gol da EPD PSTC, sendo expulso de campo.         Assim agindo, o Atleta Denunciado incorreu na hipótese do artigo 250, §1º, inciso I, do CBJD.

2° DENUNCIADO: WELLINGTON L. DOS REIS, BID 325913, atleta n. 07 da EPD J. Malucelli, Conforme a Súmula da partida, o Atleta em referência, pertencente à EPD J Malucelli, acabou por atravessar o campo de jogo, e invadir a área onde se realizavam as cobranças de penalidades para decisão da classificação das Equipes para a próxima fase da Competição, não respeitando a disciplina para que se mantivesse em seu local e assim ocorresse cobrança do pênalti, proferindo xingamentos contra o Sr. Árbitro. Não suficiente, após o encerramento das cobranças e definição do resultado, o mesmo Atleta Denunciado retornou ao campo de jogo, novamente sem autorização, e mais uma vez proferiu xingamentos contra o Sr. Árbitro, sendo contido pelos milicianos presentes para garantir a segurança do jogo. Assim procedendo, o Atleta Denunciado encontra-se incurso na conduta descrita pelo artigo 258, caput, §  2º, inciso II, por contrariar a determinação da arbitragem e atravessar o campo de jogo – onde já se encontrava – até a área penal onde eram realizadas as cobranças de pênaltis; artigo 243-F, § 1º,  por então proferir xingamentos contra o Sr. Árbitro; artigo 258-B, por ter invadido o campo de jogo em seu retorno após sua expulsão e término das penalidades; e novamente pelo artigo 243-F, § 1º, por mais uma vez ter proferido xingamentos contra o Árbitro, devendo no caso em análise ser aplicado ainda o artigo 184, todos do CBJD.

3° DENUNCIADO: ELIZALDO VIEIRA DE SOUZA, massagista do J. Malucelli, conforme relato do Sr. Árbitro, o Denunciado acabou por invadir o campo de jogo sem sua autorização, durante a cobrança de pênaltis que definiu a EPD classificada para a fase seguinte da Competição. Agindo desta maneira, o Denunciado infringiu os artigos artigo 243-F, § 1º, e artigo 258-B, § 2º, do CBJD, cabendo de igual sorte a aplicação do artigo 184 do mesmo Código.

 

AUTOS N°. 66/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: RENATO GALVÃO CARRILLO

CAMPEONATO PARANANENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL-1ª DIVISÃO-2016

JOGO: PARANÁ CLUBE X CLUBE ATLÉTICO PARANANENSE

DATA: 28/02/2016

DENUNCIADO (S):

LEONARDO OLIVEIRA

DURVAL LARA RIBEIRO

RAFAEL TEMPO

ADRIANO MILCZVSKI

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. HENRIQUE CARDOSO DOS SANTOS

1° DENUNCIADO: LEONARDO OLIVEIRA, Presidente do Paraná Clube, Conforme relato do Sr. Árbitro, e de acordo com as provas audiovisuais trazidas por ocasião do julgamento dos autos n. 64/2016, os dirigentes da EPD Paraná Clube acabaram por invadir o campo de jogo sem sua autorização. Deveras, não consta na Súmula em anexo haver o mesmo autorizado tais pessoas para tal ato. Como se denota, não se refere o Sr. Árbitro a qualquer AUTORIZAÇAO para que tal invasão se desse, cabendo inclusive o questionamento das razões da presença NO CAMPO DE JOGO do presidente, superintendente e do diretor de marketing dentro do campo de jogo, quanto mais sem autorização para tanto. Agindo desta maneira, os Dirigentes Denunciasdos infringiram o artigo 258-B § 2º, do CBJD, e contrariedade aos arts. 33 e 34 do Regulamento Geral das Competições da FPF.  

2° DENUNCIADO: DURVAL LARA RIBEIRO, Superintendente de Futebol do Paraná Clube, Conforme relato do Sr. Árbitro, e de acordo com as provas audiovisuais trazidas por ocasião do julgamento dos autos n. 64/2016, os dirigentes da EPD Paraná Clube acabaram por invadir o campo de jogo sem sua autorização. Deveras, não consta na Súmula em anexo haver o mesmo autorizado tais pessoas para tal ato. Como se denota, não se refere o Sr. Árbitro a qualquer AUTORIZAÇAO para que tal invasão se desse, cabendo inclusive o questionamento das razões da presença NO CAMPO DE JOGO do presidente, superintendente e do diretor de marketing dentro do campo de jogo, quanto mais sem autorização para tanto. Agindo desta maneira, os Dirigentes Denunciasdos infringiram o artigo 258-B § 2º, do CBJD, e contrariedade aos arts. 33 e 34 do Regulamento Geral das Competições da FPF.  

3° DENUNCIADO: RAFAEL TEMPO, Diretor de Marketing do Paraná Clube, Conforme relato do Sr. Árbitro, e de acordo com as provas audiovisuais trazidas por ocasião do julgamento dos autos n. 64/2016, os dirigentes da EPD Paraná Clube acabaram por invadir o campo de jogo sem sua autorização. Deveras, não consta na Súmula em anexo haver o mesmo autorizado tais pessoas para tal ato. Como se denota, não se refere o Sr. Árbitro a qualquer AUTORIZAÇAO para que tal invasão se desse, cabendo inclusive o questionamento das razões da presença NO CAMPO DE JOGO do presidente, superintendente e do diretor de marketing dentro do campo de jogo, quanto mais sem autorização para tanto. Agindo desta maneira, os Dirigentes Denunciasdos infringiram o artigo 258-B § 2º, do CBJD, e contrariedade aos arts. 33 e 34 do Regulamento Geral das Competições da FPF.  

4° DENUNCIADO: ADRIANO MILCZVSKI, Árbitro da partida, Por seu turno, o Sr. Árbitro da Partida, Adriano Milczvski, deixou de punir e mesmo relatar como infração que os Dirigentes supra Denunciados adentraram o campo de jogo, visto não haver nenhuma autorização para que os mesmos assim procedessem, quanto mais naquelas condições em que se encerrou o jogo Paraná Clube x Atlético Paranaense. Mais. O Sr. Árbitro tampouco certificou-se sobre a presença daquelas pessoas à beira do campo, vez que as mesmas, à vista da função que ocupam, não se encontram autorizadas legalmente a ali estarem ou permanecerem, também contrariando o disposto pelo Regulamento Geral das Competições. Assim, dada a omissão do Sr. Árbitro, constatada pelas provas trazidas pelos autos n. 64/2016, aplicável no caso em tela o disposto pelo artigo 266 do CBJD e contrariedade aos arts. 33 e 34 do Regulamento Geral das Competições da FPF.

Publicação: 28/04/2016 às 16:45