Sessão: Quinta-feira, 09 de junho de 2016

.: Pauta 2ª Comissão Disciplinar- 14 de Abril de 2016 :.

2ª COMISSÃO DISCIPLINAR

PAUTA DE JULGAMENTO DO DIA 14/06/2016

EDITAL DE CITAÇÃO/INTIMAÇÃO N° 36/2016 

De ordem do Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Doutor Paulo César Gradela Filho e nos termos dos arts. 45, 46 e seguintes do CBJD, faço  publicar o presente Edital em que são CITADAS E INTIMADAS as partes abaixo nominadas, para  que querendo apresente defesa pessoalmente, ou ainda, se fazer representar por advogado  de  defesa, via procuração expressa, no processo contra elas movido nesta Justiça Desportiva, tornando público através deste Edital, que:

 

No dia 14 DE JUNHO DE 2016 ou na Sessão Subseqüente, a partir das 19:00 horas  (Terça - Feira), serão julgados na sede do TJD/PR, sito na Avenida República Argentina,2153 – Portão, Curitiba, Paraná, os seguintes processos:

 

AUTOS N°. 114/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: RENATO GALVÃO CARRILLO                                                           

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL- 2ª DIVISÃO- 2016

JOGO: GRÊMIO MARINGÁ X APUCARANA SPORTS

DATA: 08/05/2016

DENUNCIADO (S):

GRÊMIO MARINGÁ

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MAURICIO MUSSI CORRÊA

1° DENUNCIADO: GRÊMIO MARINGÁ, EPD, diante do relatório redigido pelo árbitro do jogo, Senhor Marcelo Sales Corrêa e, anexado a Súmula da partida, segundo o qual, após o término da partida em questão, torcedores uniformizados da equipe mandante se dirigiram até a entrada  do vestiário da arbitragem e deram vários chutes e socos na porta lateral, além de atirarem pedras na passagem de ar superior do vestiário, danificando a estrutura e colocando em risco a integridade física da equipe de arbitragem, pois diversas pedras atingiram o interior do vestiário, obrigando-os a correr para o túnel de acesso ao campo. Não bastasse isso, decorridos mais de 40 minutos d acontecido, os torcedores retornaram ao portão de sida da arbitragem e voltaram a ameaçar a integridade física da equipe de arbitragem, ocasião em que pediram ao diretor da EPD mandante, de nome Deivid, que tomasse as providências cabíveis, entretanto, em face da omissão do referido dirigente, a equipe de arbitragem foi forçada a chamar a Policia Militar para a garantia de sua segurança, que os acompanhou até o hotel e até a saída da cidade, para aqueles que necessitavam. Por derradeiro, vale ressaltar que não houve por parte da equipe mandante a identificação formal, detenção ou apresentação dos autores da desordem, ameaças, dos lançamentos das pedras ou dos chutes e socos na porta do vestiário da arbitragem. Isto posto, configuram infrações as letras do CBJD, em seus artigos 184, 211, 213, I e III, §1º.

 

AUTOS N°.132/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: LUCIANO COSTENARO DE OLIVEIRA                                               

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL- 2ª DIVISÃO- 2016

JOGO: CIANORTE FC X A PORTUGUESA LONDRINENSE

DATA: 22/05/2016

DENUNCIADO (S):

DAVI FRANCELINO

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. BRUNO CAVALCANTE DE OLIVEIRA

1° DENUNCIADO: DAVI FRANCELINO, atleta da equipe de pratica desportiva A. PORTUGUESA LONDRINENSE, foi expulso direto aos 90’ de partida porque após ser advertido pelo arbitro da partida, correu em sua direção para continuar com as reclamações, momento em que o arbitro ergueu o braço para que ele não se aproximasse, porém, desacatando sua determinação, o denunciado mesmo assim se aproximou e desferiu um tapa em sua mão, fato relatado na sumula da arbitragem e no relatório do delegado da partida.  Por assim agir, o clube denunciado incorre na sanção prevista no artigo 254-A, §3.°, do CBJD.

 

AUTOS N°.133/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: ANDERSON GASPAR

CAMPEONATO 3ª COPA DE FUTEBOL AMADOR DA CAPITAL- 2016

JOGO: GR IPIRANGA X GP GENTE DA GENTE

DATA: 07/05/2016

DENUNCIADO (S):

GR IPIRANGA

ANDERSON S. PINTO

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. HENRIQUE CARDOSO DE OLIVEIRA

1° DENUNCIADO: GR IPIRANGA, EPD, conforme relato sumulado, o início de jogo foi retardado em vista a idêntica uniformização das equipes, de acordo com o Sr. Árbitro, Alexandre Sanches Ferreira, nada obstante a boa-vontade do Sr. Árbitro em classificar o atraso como sendo “pouco”, inegável que VINTE MINUTOS  de espera para inicio revela-se demasiado, quanto mais por um equívoco que poderia ser evitado, observando-se a regra. Dispõe o artigo 18 do Regulamento da Competição. Ora, pois, bastaria simples conferência antecipada para tal verificação, e então atenderia-se o que determina a Lei da Competição – Regulamento Específico, pelo Clube Mandante – no caso, a EPD GR IPIRANGA. Assim sendo, aplica-se contra a EPD que desconsiderou o comando do Regulamento citado, o ditame do artigo 191, I e III, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva

2° DENUNCIADO: ANDERSON S. PINTO, atleta da EPD GENTE DA GENTE, BID 544354, conforme ainda o item 2 da Sumula, o atleta Anderson S. Pinto acabou expulso de forma direta, ao impedir oportunidade de marcação de tento pelo adversário. Assim agindo, o Atleta Denunciado encontra-se incurso nas penas do artigo 250, Parágrafo 1º, inciso I, do CBJD

 

AUTOS N°. 134/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: HÉLIO ANJOS ORTIS NETO                                                              

CAMPEONATO 3ª COPA DE FUTEBOL AMADOR DA CAPITAL- 2016

JOGO: IMPERIAL FC X EC SERGIPE

DATA: 16/04/2016

DENUNCIADO (S):

EC SERGIPE

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. HENRIQUE CARDOSO DE OLIVEIRA

1° DENUNCIADO: EC SERGIPE, a equipe do EC Sergipe não efetuou o pagamento da taxa de arbitragem. Uma vez definidos valores diferentes daqueles pagos para a equipe de arbitragem, através de ajuste havido entre as equipes participantes da Competição, não poderia a equipe mandante furtar-se ao cumprimento do que fora fixado, como relata o Sr. Árbitro. Ao não efetuar o pagamento na forma correta, a Equipe Denunciada também infringiu o ditame do artigo 191, I, II, III, e § 2º do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N°.135/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: RENATO GALVÃO CARRILLO

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL- 2ª DIVISÃO- 2016

JOGO: PRUDENTÓPOLIS FC X GRÊMIO MARINGÁ

DATA: 22/05/2016

DENUNCIADO (S):

RAÍ FERNANDO SIGNORINI

LEONARDO SOUZA NUNES

EDERSON CORDEIRO

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. BRUNO CAVALCANTE DE OLIVEIRA

1° DENUNCIADO: RAÍ FERNANDO SIGNORINI, atleta da equipe de pratica desportiva GRÊMIO MARINGÁ, foi expulso aos 70’ de partida, porque do banco de reservas gesticulava e realizava gestões obscenos quando ocorriam marcações contra a sua equipe, proferindo ainda as seguintes palavras, segundo sumula do arbitro e relatório do delegado da partida: “ta metendo a mão na cara dura, safadeza, ladroagem”. Por assim agir, o clube denunciado incorre na sanção prevista nos artigos 258, §2.°, inciso II e  243-F, ambos do CBJD.

2° DENUNCIADO: LEONARDO SOUZA NUNES, atleta da equipe de pratica desportiva GRÊMIO MARINGÁ, foi expulso aos 80’ de partida, porque do bando de reservas proferiu as seguintes palavras contra a equipe de arbitragem: “porra, tomar no cu, ta de sacanagem, vai se fuder”. Por assim agir, o clube denunciado incorre na sanção prevista no artigo 258, §2.° inciso II do CBJD.

3° DENUNCIADO: EDERSON CORDEIRO, preparador físico da equipe de pratica desportiva PRUDENTÓPOLIS F.C., que após o termino da partida, invadiu o campo de jogo quando as equipes se preparavam para as disputas de pênaltis, indo em direção ao arbitro assistente n.° 1, Senhor Alexandre C. Souza proferindo os seguintes dizeres, conforme sumula do arbitro e relatório do delegado da partida: você é safado, irresponsável, quis foder com o jogo, com o nosso trabalho”. Por assim agir, o clube denunciado incorre na sanção prevista no artigo 258-B e  243-F, ambos do CBJD.

 

AUTOS N°.136/2016 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: HÉLIO ANJOS ORTIS NETO                                                              

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL- 1ª DIVISÃO- 2016

JOGO: LONDRINA EC X PSTC

DATA: 30/04/2016

DENUNCIADO (S):

LONDRINA EC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. BRUNO CAVALCANTE DE OLIVEIRA

1° DENUNCIADO: LONDRINA EC, equipe de pratica desportiva, por não ter realizado o pagamento das taxas de arbitragem e do Delegado da Partida, conforme narrado no relatório do Delegado da partida. Deixando de descumprir o artigo 40, §1.° do Regulamento Geral das Competições de 2016, infringindo ainda o artigo 191, inciso III, do CBJD.

 

 

 

Publicação: 09/06/2016 às 15:42