Sessão: Sexta-feira, 14 de outubro de 2016

.: Pauta 3ª Comissão Disciplinar- 19 de Outubro de 2016 :.

  3ª COMISSÃO DISCIPLINAR

PAUTA DE JULGAMENTO DO DIA 19/10/2016

EDITAL DE CITAÇÃO/INTIMAÇÃO N° 72/2016

De ordem do Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Doutor Leandro Souza Rosa e nos termos dos arts. 45, 46 e seguintes do CBJD, faço  publicar o presente Edital em que são CITADAS E INTIMADAS as partes abaixo nominadas, para  que querendo apresente defesa pessoalmente, ou ainda, se fazer representar por advogado  de  defesa, via procuração expressa, no processo contra elas movido nesta Justiça Desportiva, tornando público através deste Edital, que,

No dia 19 DE OUTUBRO DE 2016 ou na Sessão Subseqüente, a partir das 19:00 horas  (Quarta - Feira), serão julgados na sede do TJD/PR, sito na Avenida República Argentina, 2153 – Portão, Curitiba, Paraná, os seguintes processos:

AUTOS N°.222/2016 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. SAMUEL TORQUATO

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL- SERIE B- JUVENIL- 2016

JOGO: UNIÃO AHÚ FC X GR IPIRANGA

DATA: 30/07/2016

DENUNCIADO (S):

JOSÉ MARIA MOLINARI FILHO

JULIO CESAR FERREIRA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. VINICIUS CARVALHO FRAGOSO

1° DENUNCIADO: JOSÉ MARIA MOLINARI FILHO, árbitro da FPF, por infringir os art. 234, 239, 221, 261-A, II, 266, 273, todos do CBJD, cometendo o ilícito através da  prática narrada doravante nesta denuncia: Segundo depoimentos dos Srs. Ivandel da Silva Presidente da EPD GR Ipiranga :“EXCLARECEU QUE OUVE ATRASO DO ÁRBITRO QUE ADENTROU AS 13:34 TENDO CHEGADO AO CAMPO AS 13:32 ESCLARECEU AINDA QUE DIANTE DESSE ATRASO SUGERIU O PRESIDENTE DA EQUIPE DENUNICADA QUE SOLICITASSE AO DELEGADO QUE INDICASSE NO RELATÓRIO QUE O ATRASO DA PARTIDA, SE DEVEU AO ATRASO DO ÁRBITRO. QUE NA SEGUNDA FEIRA SUBSEQUENTE AO JOGO VEIO A FPF, BUSCAR ANOTAÇÕES DE PENALIDADES NO DEPARTAMENTO DE COMPETIÇÕES, QUANDO PEDIU PARA VER O RELATÓRIO E FOI SURPREENDIDO QUE O ÁRBITRO HAVIA ANOTADO QUE O ATRASO SE DEU PELA DEMORA NO FECHAMENTO DO PORTÃO. A TESTEMUNHA IMEDIATAMENTE AVISOU O PRESIDENTE DA EQUIPE DENUNCIADA , QUE O ÁRBITRO HAVIA TRANSFERIDO A RESPONSABILIDADE DO ATRASO DELE PARA A DENUNCIADA”  no mesmo sentido, testemunhou o Sr. Roberto Carlos Zepechouka  Vice-Presidente da EPD União Ahú em sessão de julgamento da terceira comissão disciplinar, datado em 31/08/2016 , vejamos : “QUE ESCLARECEU QUE O ÁRBITRO ENTROU EM CAMPO E IMEDIATAMENTE COMEÇOU O JOGO E O PORTÃO ESTAVA FECHADO, PEDIU AO REPRESENTANTE QUE O MESMO RELATASSE O ATRASO DO ÁRBITRO, O QUAL DISSE QUE IRIA RELATAR, AO MESMO TEMPO EM QUE PEDIU AO INFORMATE ABRISSE O PORTÃO PARA FACILITAR A BUSCA DA BOLA, CASO ELA FOSSE PARA FORA E COM O JOGO JÁ EM ANDAMENTO FOI BUSCAR A CHAVE E ABRIU O PORTÃO. O INFORMANTE FICOU TRANQUILO, ATÉ SER INFORMADO PELO PRESIDENTE DA EQUIPE ADVERSÁRIA QUE O REPRESENTANDO NÃO HAVIA RELATADO O ATRASO DO ÁRBITRO. E QUE O ÁRBITRO HAVIA RELATADO QUE O ATRASO SE DEU PORQUE “O PORTÃO ESTAVA ABERTO””.

2° DENUNCIADO: JULIO CESAR FERREIRA, delegado da federação paranaense de futebol, por infringir os art. 234, 239, 221, 261-A, II, 266, 273, todos do CBJD, cometendo o ilícito através da  prática narrada doravante nesta denuncia:  Segundo depoimentos dos Srs. Ivandel da Silva Presidente da EPD GR Ipiranga :“EXCLARECEU QUE OUVE ATRASO DO ÁRBITRO QUE ADENTROU AS 13:34 TENDO CHEGADO AO CAMPO AS 13:32 ESCLARECEU AINDA QUE DIANTE DESSE ATRASO SUGERIU O PRESIDENTE DA EQUIPE DENUNICADA QUE SOLICITASSE AO DELEGADO QUE INDICASSE NO RELATÓRIO QUE O ATRASO DA PARTIDA, SE DEVEU AO ATRASO DO ÁRBITRO. QUE NA SEGUNDA FEIRA SUBSEQUENTE AO JOGO VEIO A FPF, BUSCAR ANOTAÇÕES DE PENALIDADES NO DEPARTAMENTO DE COMPETIÇÕES, QUANDO PEDIU PARA VER O RELATÓRIO E FOI SURPREENDIDO QUE O ÁRBITRO HAVIA ANOTADO QUE O ATRASO SE DEU PELA DEMORA NO FECHAMENTO DO PORTÃO. A TESTEMUNHA IMEDIATAMENTE AVISOU O PRESIDENTE DA EQUIPE DENUNCIADA , QUE O ÁRBITRO HAVIA TRANSFERIDO A RESPONSABILIDADE DO ATRASO DELE PARA A DENUNCIADA”  no mesmo sentido, testemunhou o Sr. Roberto Carlos Zepechouka , Vice-Presidente da EPD União Ahú em sessão de julgamento da terceira comissão disciplinar, datado em 31/08/2016 , vejamos : “QUE ESCLARECEU QUE O ÁRBITRO ENTROU EM CAMPO E IMEDIATAMENTE COMEÇOU O JOGO E O PORTÃO ESTAVA FECHADO, PEDIU AO REPRESENTANTE QUE O MESMO RELATASSE O ATRASO DO ÁRBITRO, O QUAL DISSE QUE IRIA RELATAR, AO MESMO TEMPO EM QUE PEDIU AO INFORMATE ABRISSE O PORTÃO PARA FACILITAR A BUSCA DA BOLA, CASO ELA FOSSE PARA FORA E COM O JOGO JÁ EM ANDAMENTO FOI BUSCAR A CHAVE E ABRIU O PORTÃO. O INFORMANTE FICOU TRANQUILO, ATÉ SER INFORMADO PELO PRESIDENTE DA EQUIPE ADVERSÁRIA QUE O REPRESENTANDO NÃO HAVIA RELATADO O ATRASO DO ÁRBITRO. E QUE O ÁRBITRO HAVIA RELATADO QUE O ATRASO SE DEU PORQUE “O PORTÃO ESTAVA ABERTO””.

 

AUTOS N°.294/2016 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. SAMUEL TORQUATO

CAMPEONATO PARANAENSE PROFISSIONAL- 3ª DIVISÃO- 2016

JOGO: UNIÃO FC X AA BATEL

DATA: 17/08/2016

DENUNCIADO (S):

UNIÃO FC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. VINICIUS CARVALHO FRAGOSO

1° DENUNCIADO: UNIÃO FC, entidade de prática desportiva, pois deixou de tocar os hinos do estado do Paraná e o hino nacional, conforme indica súmula do árbitro principal, assim descumpriu o art. 43, parágrafo único do RGC que traz em seu núcleo a obrigatoriedade de cumprimento deste requisitos por TODAS as equipes, salienta-se que mesmo não existindo qualquer prejuízo a realização da partida, a inobservância de um requisito previamente acolhido pela EPD, quando não sancionada pela colenda corte, pode e irá causar danos ao princípio da equidade das competições, haja vista que, todas as demias EPD’s, mesmo que com alguma dificuldade cumprem com tais requisitos, Sendo assim, diante do fato objetivo esposada nesta denúncia e o não cumprimento de um artigo do regulamento geral das competições, a Denunciada infringiu o disposto no art. 191, III, do CBJD, ao deixar de cumprir determinação prevista no art. 43, parágrafo único do Regulamento Geral das Competições.

 

AUTOS N°.315/2016 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. HUMBERTO CICCARINO FILHO

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL- MASTER- 2016

JOGO: SOBE SÃO BRAZ X SRE BANGU

DATA: 11/09/2016

DENUNCIADO (S):

SOBI SÃO BRAZ

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RICARDO MAGNO QUADROS

1° DENUNCIADO: SOBI SÃO BRAZ, em seu relatório, o Sr. Árbitro atestou a ausência de policiamento. Bem como atestou a ausência de apresentação de ofício requerendo o comparecimento do policiamento Diante do exposto, não há qualquer elemento que comprove a solicitação de policiamento nos autos. Esta cometeu a infração prevista no artigo 11 do REC. Anão observância do artigo 11 do REC, caracteriza infração ao artigo 191, III do CBJD.

 

AUTOS N° 316/2016 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. IRINEU TONINELLO

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL- SERIE A- JUVENIL- 2016

JOGO: SE RENOVICENTE X ABE NOVO MUNDO

DATA: 10/09/2016

DENUNCIADO (S):

JHONATHAN M. DOS SANTOS

VINICIUS P. SOARES

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. ARIEL NORBERTO LEAL

1° DENUNCIADO: JHONATHAN M. DOS SANTOS, atleta da EPD SE RENOVICENTE, inscrito na CBF sob nº. 526288, conforme consta da súmula da partida, o denunciado foi expulso por dupla advertência aos 37 minutos da 1ª etapa do jogo, após dar uma rasteira em seu adversário, na disputa da bola, impedindo ataque promissor. Por assim agir, incorreu o denunciado nas sanções previstas no artigo 254 §1º inciso II do CBJD.

2° DENUNCIADO: VINICIUS P. SOARES, atleta da EPD ABE NOVO MUNDO, inscrito na CBF sob nº. 535789, conforme consta da súmula da partida, o denunciado foi expulso por dupla advertência aos 64 minutos de jogo, ao disputar a bola de maneira temerária, atingindo seu adversário com o cotovelo na altura das costas. Por assim agir, incorreu o denunciado nas sanções previstas no artigo 254-A §1º inciso I do CBJD.

 

AUTOS N°.317/2016 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MAURO RIBEIRO BORGES

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL- SERIE A- ADULTO- 2016

JOGO: UN. NOVA ORLEASN X UBERLANDIA EC

DATA: 10/09/2016

DENUNCIADO (S):

ALEXANDRE DE OLIVEIRA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. ARIEL NORBERTO LEAL

1° DENUNCIADO: ALEXANDRE DE OLIVEIRA, treinador da EPD UN. NOVA ORLEANS, inscrito na CBF sob nº. 59581082, conforme consta da súmula da partida, o denunciado foi expulso diretamente aos 75 minutos de jogo, por gesticular com braços contra a arbitragem e proferir palavras do tipo “não foi falta, você errou”. Após ser expulso o denunciado proferiu as seguintes palavras: “vou sair, mas quero te pegar lá fora seu bosta, quero ver quando você passar pelo portão”. O denunciado adentrou o campo de jogo para proferir tais palavras, sendo retirado por atleta de sua equipe. Por assim agir, incorreu o denunciado nas sanções previstas nos artigos 258 §2º inciso II e 258-B ambos do CBJD.

 

AUTOS N°.318/2016 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. HUMBERTO CICCARINO FILHO

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL- 3ª DIVISÃO 2016

JOGO: AA BATEL X SC CAMPO MOURÃO

DATA: 31/08/2016

DENUNCIADO (S):

VANDER LUIS RODRIGUES MODOS

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. BRUNO CAVALCANTE DE OLIVEIRA

1° DENUNCIADO: VANDER LUIS RODRIGUES MODOS, inscrito no BID sob o n.° 186.620, atleta da equipe de prática desportiva S.C. CAMPO MOURÃO, foi expulso aos 54’ de partida de forma direta, após dar um carrinho, o qual atingiu a canela do jogador adversário com as travas da chuteira, na disputa da bola. Por assim agir, o denunciado incorre nas sanções previstas no artigo 258, §2.°, inciso II, do CBJD.

 

AUTOS N°.319/2016 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. IRINEU TONINELLO

CAMPEONATO TAÇA FPF- 2016

JOGO: APUCARANA SPORTS X AC PARANAVAÍ

DATA: 03/09/2016

DENUNCIADO (S):

APUCARANA SPORTS

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. EDSON RENATO ALMEIDA FERNANDES

1° DENUNCIADO: APUCARANA SPORTS, consta da súmula do jogo, assinada pelo Sr. MARCELO SALES CORRÊA, que entidade de prática desportiva supra mencionada, não ofereceu a praça desportiva indica em condições mínimas de utilização pela equipe de arbitragem e delegado do jogo É necessário manter as dependências do estádio que indicou para realização das partidas no mais perfeito estado de conservação e segurança. Percebe-se que não se reclama de falta de conforto, o que seria subjetivo, mas sim de falta de condições mínimas para preparação e finalização dos trabalhos da arbitragem: "(...)Ao final do jogo, ficamos sem energia no vestiário o que impossibilitou a finalização dos trabalhos e também a mínima higiene pessoal para retornarmos para casa." Depreende-se do relato do árbitro que o acesso ao vestiário teve que ser realizado: "(...) por um buraco lateral ao campo pois o vestiário só teve sua porta aberta cerca de uma hora antes do jogo." Ora, a equipe de arbitragem é essencial para a realização do espetáculo futebolístico e merece o respeito mínimo que uma praça esportivo deve oferecer em seus vestiários. Desta feita, os vestiários com luz elétrica à disposição da equipe de arbitragem para sua recomposição ao final da partida está contido dentro deste mínimo respeito necessário. A displicência da equipe mandante é flagrante, uma vez que nem mesmo apresentou justificativa ao delegado do jogo de modo a esclarecer tal falta. Insta salientar que a conduta adotada pela entidade de prática desportiva APUCARANA SPORTS deve ser coibida por tratar-se de um flagrante desrespeito aos organizadores do evento e a equipe de arbitragem, que são imprescindíveis para realização do espetáculo esportivo.. A atitude da entidade de prática desportiva APUCARANA SPORTS, ora denunciada, caracteriza afronta ao Código Brasileiro de Justiça Desportiva, no seu artigo 211.

 

AUTOS N°.320/2016 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MAURO RIBEIRO BORGES

CAMPEONATO PARANAENSE PROFISSIONAL- 3ª DIVISÃO- 2016

JOGO: PATO BRANCO EC X GRECAL

DATA: 11/09/2016

DENUNCIADO (S):

LUCAS B. MENDONÇA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. VINICIUS CARVALHO FRAGOSO

1° DENUNCIADO: LUCAS B. MENDONÇA, (BID 350532) atleta da EDP GRECAL, expulso diretamente aos 42’ (quarenta e dois minutos) de partida, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, em uma disputa da bola chutou a canela do seu adversário. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no 254, §1º, I, do CBJD.

 

AUTOS N°.321/2016 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. HUMBERTO CICCARINO FILHO

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL- SERIE A- ADULTO- 2016

JOGO: TRIESTE FC X URE STA QUITÉRIA

DATA: 10/09/2016                                    

DENUNCIADO (S):

ANDRÉ TOBIAS DA DACHERY

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. VINICIUS CARVALHO FRAGOSO

1° DENUNCIADO: ANDRÉ TOBIAS DA DACHERY, (BID 296752) atleta da TRIESTE FC, expulso por dupla advertência, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, em uma disputa de bola atingiu o adversário com um chute temerário. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no 254, do CBJD.

 

Publicação: 14/10/2016 às 15:43