Sessão: Quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

.: Pauta 3ª Comissão Discipinar - 25 de janeiro de 2017 :.

3ª COMISSÃO DISCIPLINAR

PAUTA DE JULGAMENTO DO DIA 25/01/2017

EDITAL DE CITAÇÃO/INTIMAÇÃO N° 03/2017

 

De ordem do Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Doutor Leandro Souza Rosa e nos termos dos arts. 45, 46 e seguintes do CBJD, faço  publicar o presente Edital em que são CITADAS E INTIMADAS as partes abaixo nominadas, para  que querendo, apresentem defesa pessoalmente, ou ainda, se façam representar por advogado  de  defesa, via procuração expressa, no processo contra elas movido nesta Justiça Desportiva.  Torna-se  público, por intermédio deste Edital, que:

No dia 25 DE JANEIRO DE 2017 ou na Sessão Subseqüente, a partir das 19:00 horas  (Segunda - Feira), serão julgados na sede do TJD/PR, sito na Avenida República Argentina, 2153 – Portão, Curitiba, Paraná, os seguintes processos:

AUTOS N° 514/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR. MAURO RIBEIRO BORGES
CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL- 3ª DIVISÃO-2016
JOGO: ARAPONGAS EC X SC CAMPO MOURÃO
DATA: 02/11/2016
DENUNCIADO (S):
PEDRO VINICIUS MACHADO
JORGE DIONE R. DA SILVA
VAGNER ALVES BEZERRA
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: 
DR. MARCELO FONSECA GURNISKI
1° DENUNCIADO: PEDRO VINICIUS MACHADO, auxiliar técnico integrante da entidade de prática desportiva SC CAMPO MOURÃO, por deixar de cumprir o artigo 34, §1º, do Regulamento Geral das Competições, uma vez que não apresentou ao Delegado da partida a carteira do Conselho de Classe respectiva, o que inviabilizou sua correta verificação de regularidade perante o respectivo Conselho de Classe.Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no artigo 191,III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
2° DENUNCIADO: JORGE DIONE R. DA SILVA, preparador físico integrante da entidade de prática desportiva SC CAMPO MOURÃO, por deixar de cumprir o artigo 34, §1º, do Regulamento Geral das Competições, uma vez que não apresentou ao Delegado da partida a carteira do Conselho de Classe respectiva, o que inviabilizou sua correta verificação de regularidade perante o respectivo Conselho de Classe. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no artigo 191,III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
3º DENUNCIADO: VAGNER ALVES BEZERRA, massagista integrante da entidade de prática desportiva SC CAMPO MOURÃO, por deixar de cumprir o artigo 34, §1º, do Regulamento Geral das Competições, uma vez que não apresentou ao Delegado da partida a carteira do Conselho de Classe respectiva, o que inviabilizou sua correta verificação de regularidade perante o respectivo Conselho de Classe. . Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no artigo 191,III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 ________________________________________________________________________________________________

AUTOS N° 437/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR. IRINEU TONINELLO
CAMPEONATO PARANAENSE PROFISSIONAL  –3ª DIVISÃO- 2016
JOGO: ARAPONGAS EC X SC CAMPO MOURÃO
DATA: 23/10/2016
DENUNCIADO (S):
ARAPONGAS EC
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RICARDO MAGNO QUADROS
1° DENUNCIADO: ARAPONGAS EC, a equipe de prática desportiva está sendo denunciada, pois a ausência de médico inviabilizou a realização da partida. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 191,III e 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
________________________________________________________________________________________________

AUTOS N°.392/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR.IRINEU TONINELLO
CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL – SÉRIE B - ADULTO -  2016.
JOGO: CA BAIRRO ALTO X GR IPIRANGA
DATA: 08/10/2016
DENUNCIADO (S):
FRANCISCO F. MARANHÃO
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. ARIEL NORBERTO LEAL
1° DENUNCIADO: FRANCISCO F. MARANHÃO, atleta da equipe de prática desportiva GR IPIRANGA, inscrito na CBF sob nº 321.212, foi expulso diretamente aos 46 minutos de jogo. O denunciado insatisfeito com a marcação de pênalti em desfavor de sua equipe pegou a bola com as mãos em seguida a chutou em direção do árbitro, com a clara intenção de atingi-lo, entretanto a bola acabou atingindo o atleta da sua própria equipe. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A, §3º do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
_____________________________________________________________________________ 

AUTOS N° 507/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR. HUMBERTO CICCARINO FILHO
CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL  – MASTER -  2016
JOGO: SRE BANGU X EC SERGIPE
DATA: 06/11/2016
DENUNCIADO (S):
SRE BANGU  
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. EDSON RENATO ALMEIDA FERNANDES
1° DENUNCIADO: SRE BANGU, entidade de prática desportiva pelo descumprimento do 32, I do Regulamento Geral das Competições organizadas ou administradas pela Federação Paranaense de Futebol, artigo este que diz respeito as obrigações por parte da equipe quanto ao policiamento para a partida. Conforme relatório da partida não houve policiamento. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no artigo 191 do do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
_____________________________________________________________________________

AUTOS N°.508/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR. IRINEU TONINELLO
CAMPEONATO PARANAENSE DA FUTEBOL SUB-19- 2ª RODADA - 2º TURNO- 2016
JOGO: J. MALUCELLI X CORITIBA FC
DATA: 19/11/2016
DENUNCIADO (S):
VITOR G. DE P. CORROTI
THALISSON KELVEN DA SILVA
CORITIBA FC
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. PEDRO HENRIQUE VAL FEITOSA
1° DENUNCIADO: VITOR G. DE P. CORROTI, médico da equipe de prática desportiva J. MALUCELLI excluído de campo aos 70 minutos de partida pois desaprovou as decisões da arbitragem dizendo “você tem que ler melhor a regra”. Após ser advertido verbalmente continuou dizendo “pode deixar vou falar de você na comissão” e asseverou “cada árbitro que vem apitar aqui, sem preparo nenhum”. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
2° DENUNCIADO: THALISSON KELVEN DA SILVA, atleta da equipe de prática desportiva CORITIBA FC, inscrito no BID nº 361.347 foi expulso diretamente aos 80 minutos de partida, porque praticou conduta violenta ao pisar nas costas de seu adversário fora da disputa da bola.Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no artigo 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
3° DENUNCIADO: CORITIBA FC, equipe de prática desportiva, foi denunciada pela conduta praticada por seu atleta, o segundo denunciado.Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 258-D do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
____________________________________________________________________________

AUTOS N°.509/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR.SAMEUL TORQUATO
CAMPEONATO PARANAENSE AMADOR DA CAPITAL- MASTER- 2016
JOGO: URE SANTA QUITÉRIA X FORTALEZA
DATA: 20/11/2016
DENUNCIADO (S):
IVERALDO BOAVENTURA
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. ARIEL NORBERTO LEAL
1° DENUNCIADO: IVERALDO BOAVENTURA, atleta da equipe de prática desportiva EC FORTALEZA inscrito na CBF sob nº MT0030 foi expulso aos 25 minutos da primeira etapa de jogo, após ameaçar o árbitro principal da partida dizendo que “iria quebrar a cara do árbitro” ato contínuo, o denunciado chamou o árbitro de frouxo, que só expulsou seu companheiro de equipe porque a PM estava no local, momento em que cerrou os punhos e tentou ultrapassar o isolamento policial para tentar agredir o árbitro. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos artigos 243-C e  258-B do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.


AUTOS N°.510/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR.MAURO RIBEIRO BORGES
CAMPEONATO  AMADOR DA CAPITAL- SÉRIE B- JUVENIL-2ª RODADA-SEMI-FINAL - 2016
JOGO: CA BAIRRO ALTO X VILA HAUER FC
DATA: 03/12/2016
DENUNCIADO (S):
LEONIDAS SANTO GONÇALVES
HENRIQUE LEITE RODRIGUES
GABRIEL A. DA TRINDADE
LAURO M. G. DOS SANTOS
MATHEUS L. JANZ
CRISTIANO YUJI KUBOYAMA
MARCOS AURÉLIO RODRIGUES
VILA HAUER FC
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. ARIEL NORBERTO LEAL
1° DENUNCIADO: LEONIDAS SANTO GONÇALVES, preparador de goleiros da equipe de prática desportiva VILA HAUER FC, foi excluído de campo aos 47 minutos de partida, após empregar linguagem ofensiva contra a arbitragem dizendo “apita certo essa merda seu pau no cu”. Após a exclusão, quando estava saindo de campo xingou o árbitro dizendo “filho da puta, pau no cu”. Fora de campo continuou os xingamentos “filho da puta, merece apanhar”. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
2° DENUNCIADO: HENRIQUE LEITE RODRIGUES, atleta da equipe de prática desportiva VILA HAUER FC, inscrito com BID nº 508.402, foi expulso por dupla advertência aos 68 minutos de jogo. Após ser expulso, ofendeu o árbitro dizendo “seu pau no cu, filho da puta”. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
3° DENUNCIADO: GABRIEL A. DA TRINDADE, atleta da equipe de prática desportiva VILA HAUER FC, inscrito com BID nº 532.143, foi expulso aos 71 minutos de jogo, após partir pra cima do árbitro em conjunto com outros atletas, ameaçando e xingando de “seu merda, pau no cu, filho da puta, ladrão”. O árbitro encerrou a partida, pois temeu por sua integridade física, sendo necessária a intervenção da Polícia Militar. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 243-F e 243-C do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
4° DENUNCIADO: LAURO M. G. DOS SANTOS, atleta da equipe de prática desportiva VILA HAUER FC, inscrito com BID nº 552.986, foi expulso aos 71 minutos de jogo, após partir pra cima do árbitro em conjunto com outros atletas, ameaçando e xingando de “seu merda, pau no cu, filho da puta, ladrão”. O árbitro encerrou a partida, pois temeu por sua integridade física, sendo necessária a intervenção da Polícia Militar. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 243-F e 243-C do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
5° DENUNCIADO: MATHEUS L. JANZ, atleta da equipe de prática desportiva VILA HAUER FC, inscrito com BID nº 530.969, foi expulso aos 71 minutos de jogo, após partir pra cima do árbitro em conjunto com outros atletas, ameaçando e xingando de “seu merda, pau no cu, filho da puta, ladrão”. O árbitro encerrou a partida, pois temeu por sua integridade física, sendo necessária a intervenção da Polícia Militar.Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 243-F e 243-C do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
6° DENUNCIADO: CRISTIANO YUJI KUBOYAMA, técnico da equipe de prática desportiva VILA HAUER FC foi expulso aos 71 minutos de jogo, após invadir o campo ameaçar o árbitro principal da partida dizendo “seu filho da puta, se a polícia não estivesse aqui eu iria te bater”. Foi necessária a intervenção da Polícia Militar. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 243-C, 243-F e  258-B do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
7° DENUNCIADO: MARCOS AURÉLIO RODRIGUES, preparador físico da equipe de prática desportiva VILA HAUER FC, foi excluído aos 71 minutos de jogo, após invadir o campo ameaçar o árbitro principal da partida dizendo “seu filho da puta, seu merda, você vai apanhar”. Foi necessária a intervenção da Polícia Militar. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 243-C e  258-B do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
8° DENUNCIADO: VILA HAUER FC, equipe de prática desportiva, pela invasão de campo ocorrida na partida em questão por seu técnico, que foi em direção ao árbitro da principal partida causando tumulto e dando causa ao encerramento da mesma. E ainda impedir o prosseguimento da partida. Esta equipe também foi denunciada pelas condutas praticadas por seus prepostos.  Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 213, I e II; 205 e 258-D do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
 ___________________________________________________________________________

AUTOS N°.511/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR.HUMBERTO CICCARINO FILHO
CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL SUB-19 - 2ª RODADA - 2º TURNO-2ª FASE- 2016
OFÍCIO Nº 284/2106
DENUNCIADO (S):
TIAGO ROCHA A. COSTA
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MAYCOLN SOSTAG DE CAMARGO
1° DENUNCIADO: TIAGO ROCHA A. COSTA, CREFITO 103.120 F, massagista da equipe de prática desportiva J. MALUCELLI,por infringir regras exigidas pelos Regulamentos da competição, no jogo do Campeonato Paranaense de Futebol sub-19 ocorrido dia 19/11/2016 entre o clube e o Coritiba FC onde este não cumpriu a automática na partida do subsequente no dia 23/11/2016. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 191,III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
____________________________________________________________________________

AUTOS N°.512/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR.IRINEU TONINELLO
CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL – SUB-17- 2ª RODADA- JOGO DA VOLTA- FINAL- 2016
JOGO: PARANÁ CLUBE X CORITIBA FC
DATA: 13/11/2016
DENUNCIADO (S):
MATHEUS S. CORREA
JONNY L. F. BARBOSA
GABRIEL V. DE O. FURTADO
RAFAEL LOPES
LUCIANO SIMM
PARANÁ CLUBE
CHRISTIAN K. W. FERREIRA
MATEUS S. C. DA CUNHA
MURILO B. GUIMARÃES
VITOR HUGO P. DOS SANTOS
CORITIBA FC
MURILO UGOLINI KLEIN
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. JOSÉ GUSTAVO MENEGHEL RANDO
1° DENUNCIADO: MATHEUS S. CORREA (BID 466733), atleta da equipe PARANÁ CLUBE, camisa n. 07, expulso de campo aos 61’ (sessenta e um minutos) da partida, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, o mesmo chutou seu adversário, quando ele estava no chão do gramado. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no artigo 254-A, II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
2ºDENUNCIADO: JONNY L. F. BARBOSA (BID 522890), atleta da equipe PARANÁ CLUBE, camisa n. 8, expulso de campo aos 61’ (sessenta e um minutos) da partida, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, o mesmo empurrou o seu adversário no peito e após o chutou quando este estava caído no gramando. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 250,§1º, II e 254-A, II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
3º DENUNCIADO: GABRIEL V. DE O. FURTADO (BID 466733), atleta da equipe PARANÁ CLUBE, camisa n. 5, expulso de campo aos 61’ (sessenta e um minutos) da partida, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, o mesmo socou seu adversário no rosto, chutando o mesmo quando estava caído no gramado, após correu e chutou outro adversário. Consta ainda no relatório do arbitro que o atleta denunciado ficou bastante nervoso e agressivo, pois quando advertido pelo arbitro, tentou agredi-lo. No banco de reservas, referido atleta ainda provocou tumulto, chutando uma garrafa de água e tirando a camisa, precisando ser retirado por seguranças no momento da cobrança das penalidades. Já fora do campo, o mesmo retirou a chuteira e atirou-a em direção do banco de reservas. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 157,II; 254-A, II, 254-A, §3º; 250; e 191,III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
4º DENUNCIADO: RAFAEL LOPES, preparador físico da equipe do PARANÁ CLUBE, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, aos 21 minutos do segundo tempo, após uma confusão no campo de jogo, o denunciado disse ao arbitro, “é tudo culpa sua, seu safado”, sendo expulso de campo após as agressões verbais. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
5º DENUNCIADO:LUCIANO SIMM, técnico da equipe do Paraná Clube, pois aos 61 (sessenta e um) minutos da partida, quando o atleta Gabriel V. De O. Furtado (BID 466733), foi expulso, o técnico deveria ter orientado seu atleta a se retirar do campo de jogo, mas referido atleta, retornou aos gramados ficando junto ao banco de reservas, e realizou atos hostis que atrapalharam no bom andamento da partida. Assim, por sua omissão, deve o técnico do Paraná Clube ser responsabilizado.  Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 191,III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
6º DENUNCIADO: PARANÁ CLUBE, entidade de prática desportiva, o qual deve ser condenado pelas condutas praticadas pelos atletas e preparador físico, acima denunciados. Também, pelos fatos acima expostos, deve o clube mandante ser denunciado, pois vários atletas que estavam em campo e também no banco de reservas, participaram de grande e acintosa confusão aos 61 (sessenta minutos) de jogo, a qual perdurou por cerca de 09 (nove) minutos, sendo o jogo paralisado neste período. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 258-D e 257 caput do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
7º DENUNCIADO: CHRISTIAN K. W. FERREIRA (BID 454845), atleta da equipe CORITIBA FC, camisa n. 14, expulso de campo aos 61’ (sessenta e um minutos) da partida, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, o mesmo desferiu um tapa no peito do seu adversário. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado art. 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
8º DENUNCIADO: MATEUS S. C. DA CUNHA (BID 463284), atleta da equipe CORITIBA FC, camisa n. 11, expulso de campo aos 61’ (sessenta e um minutos) da partida, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, o mesmo empurrou e chutou o seu adversário. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 250, §1º, II e 254-A, II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
9º DENUNCIADO: MURILO B. GUIMARÃES, auxiliar técnico da equipe CORITIBA FC, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, após o encerramento da partida, o mesmo se dirigiu até o arbitro e disse “Você é um filha da puta, cuzão, você fudeu a gente, vai tomar no cu, seu filho da puta”, devendo ter que ser contido e retirado de campo por seus jogadores. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
10º DENUNCIADO: VITOR HUGO P. DOS SANTOS, preparador físico da equipe CORITIBA FC, pois, conforme consta do relatório do árbitro principal da partida, após o encerramento da partida, o mesmo se dirigiu até o arbitro e disse “ladrão, filho da puta, meteu a mão, lazarento”. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
11º DENUNCIADO: CORITIBA FC, entidade de prática desportiva, o qual deve também ser condenado pela conduta praticada desleal e antidesportiva cometidas por seus atletas, bem como de seus dois dirigentes esportivos, acima denunciados. Desta forma, pugna-se pela condenação da Denunciada e também, pelos fatos acima expostos, deve o clube visitante ser condenado pois vários atletas que estavam em campo e também no banco de reservas, terem participado de grande e acintosa confusão aos 61 (sessenta minutos) de jogo, a qual perdurou por cerca de 09 (nove) minutos, sendo o jogo paralisado neste período.Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado nos arts. 258-D, 257 caput,e § 3º 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
12º DENUNCIADO: MURILO UGOLINI KLEIN, arbitro principal da partida, o qual deve ser condenado, por não observar que o jogador n. 05 do Paraná Clube, Gabriel V. De O. Furtado (BID 466733), não se retirou de campo após a sua expulsão, permanecendo em campo, junto ao banco de reservas, quando após atitudes hostis do atleta expulso, o mesmo foi retirado do local por seguranças particulares. Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 259 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
___________________________________________________________________________
 
AUTOS N°.513/2016 – EM TRÂMITE
AUDITOR RELATOR: DR.SAMEUL TORQUATO
CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL- SUB-19- 2016
JOGO: J. MALUCELLI X UNIÃO FC
DATA: 12/11/2016
DENUNCIADO (S):
UNIÃO FC
DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MARCELO FONSECA GURNISKI
1° DENUNCIADO: UNIÃO FC,  entidade de prática desportiva, por não apresentar a carteira de identificação da FPF de seus atletas Thales Wander da Silva, David da Silva dos Santos, Denis L. De Oliveira e Pedro Vicenzo Duarte.Com tal conduta, o denunciado praticou o ato ilícito tipificado no art. 191,III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.
 
Publicação: 20/01/2017 às 13:21