Sessão: Terça-feira, 05 de dezembro de 2017

.: Pauta 2ª Comissão Disciplinar - 05 de Dezembro de 2017 :.

COMISSÃO DISCIPLINAR

PAUTA DE JULGAMENTO DO DIA 05/12/2017

EDITAL DE CITAÇÃO/INTIMAÇÃO N° 81/2017

De ordem do Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Doutor Leandro Souza Rosa e nos termos dos arts. 45, 46 e seguintes do CBJD, faço  publicar o presente Edital em que são CITADAS E INTIMADAS as partes abaixo nominadas, para  que querendo, apresentem defesa pessoalmente, ou ainda, se façam representar por advogado  de  defesa, via procuração expressa, no processo contra elas movido nesta Justiça Desportiva.  Torna-se  público, por intermédio deste Edital, que foi adiada a sessão do dia 14 de Novembro para:

 

No dia 05 DE DEZEMBRO 2017 ou na Sessão Subseqüente, a partir das 19:00 horas  (Terça - Feira), serão julgados na sede do TJD/PR, sito na Avenida República Argentina, 2153 – Portão, Curitiba, Paraná, os seguintes processos:

 

AUTOS N. 585/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. CHRISTIANO SOUTO PUPPI

TAÇA FPF – SUB – 23

JOGO: RIOBRANCO SC X AC PARANAVAÍ

DATA: 08/10/2017

DENUNCIADO (S):

RIO BRANCO SC

MATHEUS ROD DA SILVA

DAVI H. DE FREITAS DA SILVA

BRENNO BARBOSA PEREIRA

AMARILDO APARECIDO DE SOUZA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RICARDO MAGNO QUADROS

1º DENUNCIADO: RIO BRANCO SC, entidade de prática desportiva, pois os vestiários para os árbitros não possuíam água para banho nem água mineral para hidratação, e não foi paga a taxa de arbitragem. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 211 e 191, III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2º DENUNCIADO: MATHEUS ROD DA SILVA, atleta da entidade de prática desportiva Rio Branco SC, BID nº 536.377, expulso diretamente por trocar empurrões com o terceiro denunciado. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A, §1º, I do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3º DENUNCIADO: DAVI H. DE FREITAS DA SILVA, atleta da entidade de prática desportiva AC Paranavaí, BID nº 352.450, expulso diretamente por trocar empurrões com o segundo denunciado. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A, §1º, I do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

4º DENUNCIADO: BRENNO BARBOSA PEREIRA, atleta da entidade de prática desportiva AC Paranavaí, BID nº 351.642, expulso de campo por uma entrada por trás, com emprego de força excessiva. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254, §1º, I do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

5º DENUNCIADO: AMARILDO APARECIDO DE SOUZA, técnico da entidade de prática desportiva AC Paranavaí, CREF nº 003890 g/PR, excluído de campo por reclamar de forma acintosa das marcações da arbitragem. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258-A, §2º, II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. 

AUTOS N. 586/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MAURÍCIO BITTENCOURT FOWLER

TAÇA FPF –SUB - 23

JOGO: RIO BRANCO SC X IRATY SC

DATA: 24/09/2017

DENUNCIADO (S):

DIEGO PIRES DALLOCA

ELIVELTON F. V. DE OLIVEIRA

EDMILSON CORDEIRO

LEANDRO RIBEIRO

THIAGO T. CAMPOS

RIO BRANCO SC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MAYCOLN SOSTAG DE CAMARGO

1° DENUNCIADO: DIEGO PIRES DALLOCA, atleta da entidade de prática desportiva Rio Branco SC, BID nº 354.037, que foi expulso aos 80 (oitenta) minutos por conduta anti desportiva ao empregar linguagem ofensiva ao dirigir-se ao companheiro de equipe com as seguintes palavras: “vai tomar no cu você, seu bosta, faz o teu que faço o meu, pau no cu do caralho, vai se foder, filho da puta”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2° DENUNCIADO: ELIVELTON F. V. DE OLIVEIRA, atleta da entidade de prática desportiva Rio Branco SC, BID nº 354.557, que foi expulso aos 80 (oitenta) minutos por conduta ante desportiva ao empregar linguagem ofensiva ao dirigir-se ao companheiro de equipe com as seguintes palavras:” Diego, vai tomar no cu, toca essa bola rápida, caralho, vai tomar no cu, seu bosta do caralho, seu pau no cu”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3° DENUNCIADO: EDMILSON CORDEIRO, preparador físico da entidade de prática desportiva Rio Branco SC, RG nº 6.498.727-5, que foi expulso aos 72 (setenta e dois) minutos por reclamar ostensivamente da decisão do árbitro quando da execução de um tiro de meta a favor da equipe adversária, dizendo as seguintes palavras: “vamos Leandro, até quando ele vai enrolar com a bola, você tá de sacanagem com a gente, porra”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

4° DENUNCIADO: LEANDRO RIBEIRO, dirigente da entidade de prática desportiva Rio Branco SC, por se dirigir ao árbitro após o término do jogo de forma desrespeitosa e agressiva dizendo: “parabéns pelo jogo, olha a merda que vocês fizeram, foi a pior arbitragem que eu já vi, tá gravado tudo isso, se depender de mim vocês nunca mais apitam aqui, vou relatar o que fizeram na federação para você nunca mais apitar, seus ladrões, safado”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

5° DENUNCIADO: THIAGO T. CAMPOS, dirigente da entidade de prática desportiva Rio Branco SC, por se dirigir ao árbitro após o término do jogo de forma desrespeitosa e agressiva dizendo: “só quero saber quem pagou vocês, porque pra fazer a merda que fizeram, com certeza foram comprados”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

6° DENUNCIADO: RIO BRANCOSC, entidade de prática desportiva, por falta de condições estruturais no estádio e pela falta de pagamento da taxa de arbitragem. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 211 e 191, III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N. 628/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. GABRIEL ALVES MUNIZ DOS SANTOS

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL – JUVENIL

JOGO: IMPERIAL FC X UNIÃO VILA SANDRA EC

DATA: 21/10/2017 E 29/10/2017

DENUNCIADO (S):

IMPERIAL FC

UNIÃO VILA SANDRA EC

IMPERIAL FC

UNIÃO VILA SANDRA EC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MARCELO FONSECA GURNISKI

1º DENUNCIADO: IMPERIAL FC, entidade de prática desportiva, por dar causa a suspensão da partida realizada no dia 21/10/2017, uma vez que a torcida entrou em confronto com a torcida da entidade de prática desportiva adversária no estádio e no estacionamento, por meio de paus, pedras, tijolos, foguetes e demais artefatos explosivos, gerando a suspensão da partida devido a falta de segurança informada pela Polícia Militar. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 203, §1º do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2º DENUNCIADO: UNIÃO VILA SANDRA EC, entidade de prática desportiva, por dar causa a suspensão da partida realizada no dia 21/10/2017, uma vez que a torcida entrou em confronto com a torcida da entidade de prática desportiva adversária no estádio e no estacionamento, por meio de paus, pedras, tijolos, foguetes e demais artefatos explosivos, gerando a suspensão da partida devido a falta de segurança informada pela Polícia Militar. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 203, §1º  do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3º DENUNCIADO: IMPERIAL FC, entidade de prática desportiva, por não tomar as providências capazes de prevenir e reprimir desordem em sua praça de desporto, frente ao confronto estabelecido entre sua torcida e a torcida da entidade de prática desportiva adversária, causando inclusive prejuízo ao andamento do evento. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 213, inciso I, §1º e §2º  do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

4º DENUNCIADO: UNIÃO VILA SANDRA EC, entidade de prática desportiva, por não tomar as providências capazes de prevenir e reprimir desordem em sua praça de desporto, frente ao confronto estabelecido entre sua torcida e a torcida da entidade de prática desportiva adversária, causando inclusive prejuízo ao andamento do evento. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 213, inciso I, §1º e §2º  do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. 

AUTOS N. 629/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MAURÍCIO BITTENCOURT FOWLER

CAMPEONATO DE FUTEBOL AMADOR DA CAPITAL - JUVENIL

JOGO: CAXIAS FC X ACE URANO

DATA: 21/10/2017

DENUNCIADO (S):

FERNANDO G. OLIVEIRA

AGOSTINHO KINASKE

CAXIAS FC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. EDSON RENATO ALMEIDA FERNANDES

1º DENUNCIADO: FERNANDO G. OLIVEIRA, atleta da entidade de prática desportiva Caxias FC, BID nº 597.363, pelo comportamento ofensivo após ser excluído da partida em decorrência de dupla advertência. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2º DENUNCIADO: AGOSTINHO KINASKE, auxiliar técnico da entidade de prática desportiva Caxias FC, por ofensas dirigidas ao árbitro da partida e posteriormente por ameaça de agressão física a equipe de arbitragem. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258 e 243-C do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3º DENUNCIADO: CAXIAS FC, entidade de prática desportiva, pela conduta do seu funcionário, auxiliar técnico, portanto pessoa vinculada ao ora terceiro denunciado. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258-D do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. 

AUTOS N. 630/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. CHRISTIANO SOUTO PUPPI

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL – ADULTO

JOGO: GP GENTE DA GENTE X TRIESTE FC

DATA: 21/10/2017

DENUNCIADO (S):

VILMAR V. GOMES

WILLIAN H. B. CHIQUITO

GILSON C. DE OLIVEIRA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MARCELO FONSECA GURNISKI

1° DENUNCIADO: VILMAR V. GOMES, atleta da entidade de prática desportiva GP Gente da Gente, BID nº 323.998, por desferir um tapa no rosto do seu adversário, fora da disputa de bola, motivando assim a sua expulsão de forma direta aos 63 (sessenta e três) minutos da partida. Com tal conduta, o denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2° DENUNCIADO: WILLIAN H. B. CHIQUITO, atleta da entidade de prática desportiva Trieste FC, BID nº 334.435, por, após receber um tapa no rosto, revidar com um tapa no rosto do seu adversário agressor, fora da disputa de bola, motivando assim a sua expulsão, de forma direta aos 63 (sessenta e três) minutos da partida. Com tal conduta, o denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3° DENUNCIADO: GILSON C. DE OLIVEIRA, massagista integrante da entidade de prática desportiva GP Gente da Gente, RG nº 844220-7, por proferir as seguintes palavras contra o assistente nº 01 da partida: “vai tomar no cu”. Com tal conduta, o denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N°. 631/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. RICARDO GAMBA GOMES BARBOZA

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL – SUB - 17

JOGO: FC VERÊ X PSTC

DATA: 04/11/2017

DENUNCIADO (S):

ZÉ MARCIO S. DE OLIVEIRA

ALEX H. JUNIOR

VITOR S. TEIXEIRA

JOÃO CARLOS FONESI

FC VERÊ

PSTC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. MARCELO FONSECA GURNISKI

1° DENUNCIADO: ZÉ MARCIO S. DE OLIVEIRA, atleta da entidade de prática desportiva FC Verê, BID nº 506.092, por pisar com as travas da sua chuteira na coxa de seu adversário, fora da disputa de bola, motivando a sua expulsão de forma direta. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2° DENUNCIADO: ALEX H. JUNIOR, atleta da entidade de prática desportiva PSTC, BID nº 542.451, por trocar chutes e empurrões, fora da disputa de bola, com o atleta Vitor S. Teixeira, motivando sua expulsão, de forma direta, aos 84 (oitenta e quatro) minutos da partida. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3° DENUNCIADO: VITOR S. TEIXEIRA, atleta da entidade de prática desportiva FC Vreê, BID nº 442.598, por trocar chutes e empurrões, fora da disputa de bola, com o atleta Alex H. Junior, motivando assim sua expulsão de forma direta, aos 84 (oitenta e quatro) minutos da partida. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

4° DENUNCIADO: JOÃO CARLOS FONESI, preparador físico da entidade de prática desportiva PSTC, por adentrar ao campo e proferir as seguintes palavras contra a equipe de arbitragem: “Filho da puta, vocês estão roubando”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258-B e 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

5° DENUNCIADO: FC VERÊ, entidade de prática desportiva, por não tomar as providências capazes de prevenir e reprimir desordem em sua praça de desporto, frente ao confronto estabelecido entre os atletas das duas entidades de prática desportiva. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 213, inciso I, §2º do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

6° DENUNCIADO: PSTC, entidade de prática desportiva, por não tomar as providências capazes de prevenir e reprimir desordem em sua praça de desporto, frente ao confronto estabelecido entre os atletas das duas entidades de prática desportiva. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 191, III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

__________________________________________________________________________________________

AUTOS N. 632/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. GABRIEL ALVE MUNIZ DOS SANTOS

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL PROFISSIONAL – 3ª DIVISÃO

OFÍCIO Nº 189/2017

DENUNCIADO (S):

CA CAMBÉ

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. EDSON RENATO ALMEIDA FERNANDES

1° DENUNCIADO: CA CAMBÉ, entidade de prática desportiva, por não recolher junto a tesouraria da Federação Paranaense de Futebol o valor referente ao prejuízo financeiro causado a entidade de prática desportiva Independente FSJ. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 223 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N. 633/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MAURÍCIO BITTENCOURT FOWLER

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL - JUVENIL

JOGO: UNIÃO VILA SANDRA EC X OPERÁRIO PILARZINHO SC

DATA: 07/10/2017

DENUNCIADO (S):

GEAN E. ROCHA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. EDSON RENATO ALMEIDA FERNANDES

1º DENUNCIADO: GEAN E. ROCHA, atleta da entidade de prática desportiva União Vila Sandra EC, BID nº 595.576, por agredir o seu adversário com um chute por trás fora da disputa de bola. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

AUTOS N. 634/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. CHRISTIANO SOUTO PUPPI

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL - JUVENIL

JOGO: SOBE IGUAÇU X UNIÃO CAPÃO RASO FC

DATA: 21/10/2017

DENUNCIADO (S):

ARTHUR F. S. SANTANA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RICARDO MAGNO QUADROS

1º DENUNCIADO: ARTHUR F. S. SANTANA, atleta da entidade de prática desportiva SOBE Iguaçu, BID nº 586.483, por tentar desferir uma cotovelada em seu adversário, fora da disputa de bola, sendo expulso de forma direta aos 72 (setenta e dois) minutos de partida. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 254-A, §1º, I do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N. 635/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. RICARDO GAMBA GOMES BARBOZA

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL – 3ª DIVISÃO

JOGO: GRECAL X REC EC

DATA: 21/10/2017

DENUNCIADO (S):

GRECAL

SULYELTON L. C. DE FREITAS

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RICARDO MAGNO QUADROS

1° DENUNCIADO: GRECAL, entidade de prática desportiva, por falta infraestrutura mínima nos vestiários para a arbitragem, pois não tinha água. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 211 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2° DENUNCIADO: SULYELTON L. C. DE FREITAS, preparador físico da entidade de prática desportiva Grecal, RG nº 10090026-2, que foi excluído de campo por reclamar acintosamente das decisões da arbitragem e proferir as seguintes palavras: “porra, caralho, não marca uma pra nós”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258, §2º, inciso II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N. 636/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. GABRIEL ALVES MUNIZ DOS SANTOS

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL - MASTER

OFÍCIO Nº: 190/2017

DENUNCIADO (S):

VILA FANNY FC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. EDSON RENATO ALMEIDA FERNANDES

1º DENUNCIADO: VILA FANNY FC, entidade de prática desportiva, por fazer constar na súmula de jogo, na partida realizada em 14 de novembro de 2017, contra a entidade de prática desportiva União Capão Raso FC, de maneira irregular o atleta Adilson Carlos Magalhães. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.


AUTOS N. 637/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MAURÍCIO BITTENCOURT FOWLER

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL - MASTER

JOGO: SOBI SÃO BRAZ X VILA FANNY FC

DATA: 22/10/2017

DENUNCIADO (S):

VILA FANNY FC

SOBI SÃO BRAZ

VILA FANNY FC

MARCIO LIBERATO DA S. TISSI

ZILMAR P. DE A. BADUY

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RICARDO MAGNO QUADROS

1º DENUNCIADO: VILA FANNY FC, entidade de prática desportiva, por dar causa ao atraso para o inicio da partida em 10 (dez) minutos, por não se apresentar em campo. E ainda que a partida teve de ser encerrada aos 66 (sessenta e seis) minutos em função da ausência de número mínimo de jogadores, visto que a equipe iniciou a partida com apenas 08 (oito) jogadores e teve duas baixas. Com tal conduta, o Denunciado praticou os ilícitos tipificados nos artigos 206 e 191, III ambos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2º DENUNCIADO: SOBI SÃO BRAZ, entidade de prática desportiva, pois o árbitro precisou paralisar a partida por 23 (vinte e três) minutos em função das ameaças da Equipe do Vila Fanny. Por deixar de tomar as providências capazes de prevenir desordens e assegurar a segurança em sua praça desportiva. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3º DENUNCIADO: VILA FANNY FC, entidade de prática desportiva, pois o árbitro precisou paralisar a partida por 23 (vinte e três) minutos em função das ameaças da equipe. Por deixar de tomar as providências capazes de prevenir desordens e assegurar a segurança na praça desportiva. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

4º DENUNCIADO: MARCIO LIBERATO DA S. TISSI, atleta da entidade de prática desportiva Vila Fanny FC, BID nº 326.368, que foi expulso de forma direta por empregar linguagem ofensiva ao árbitro assistente, maculando-lhe sua honra, proferindo as seguintes: “vai tomar no cu, se vemos lá no Vila Fanny”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

5º DENUNCIADO: ZILMAR P. DE A. BADUY, atleta da entidade de prática desportiva Vila Fanny FC, expulso diretamente por empregar linguagem ofensiva, maculando a honra dos árbitros com as seguintes palavras: “vocês são uns bostas, vão aprender a apitar antes”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 243-F do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N. 638/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. CHRISTIANO SOUTO PUPPI

CAMPEONATO AMADOR DA CAPITAL - MASTER

JOGO: SER BANGU X EC FORTALEZA

DATA: 27/10/2017

DENUNCIADO (S):

FEDERAÇÃO PARANAENSE DE FUTEBOL

SER BANGU

EC FORTALEZA

DANIEL BONFIM

ADEMIR A. SOUZA

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RICARDO MAGNO QUADROS

1º DENUNCIADO: FEDERAÇÃO PARANAENSE DE FUTEBOL, entidade de administração do desporto, pela ausência da execução do hino nacional e estadual. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 191, III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2º DENUNCIADO: SER BANGU, entidade de prática desportiva, por dar causa ao atraso para o inicio da partida em 25 (vinte e cinco) minutos. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 206 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

3º DENUNCIADO: EC FORTALEZA, entidade de prática desportiva, por dar causa ao atraso para o inicio da partida em 25 (vinte e cinco) minutos. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 206 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

4º DENUNCIADO: DANIEL BONFIM, atleta da entidade de prática desportiva EC Fortaleza, expulso por proferir as seguintes palavras: “depois vocês apanham e não sabem por que, são muito ruins, puta que o pariu”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 243-C do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

5º DENUNCIADO: ADEMIR A. SOUZA, atleta da entidade de prática desportiva EC Fortaleza, expulso de campo por proferir as seguintes palavras: “você que não apita direito hoje, que não vai sair vivo daqui, hoje você irá apanhar, vai ver só seu safado, hoje você apanha”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 243-C do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

 

AUTOS N. 639/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. RICARDO GAMBA GOMES BARBOZA

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL – SUB - 17

JOGO: FC VERÊ X GRÊMIO MARINGÁ

DATA: 21/10/2017

DENUNCIADO (S):

GRÊMIO MARINGÁ

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RICARDO MAGNO QUADROS

1° DENUNCIADO: GRÊMIO MARINGÁ, entidade de prática desportiva, por não comparecer para disputar a partida. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

__________________________________________________________________________________________

AUTOS N. 640/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. GABRIEL ALVES MUNIZ DOS SANTOS

CAMPEONATO PARANAENSE DE FUTEBOL – SUB - 19

JOGO: A. PORTUGUESA LONDRINENSE X CLUBE ANDRAUS

DATA: 21/10/2017

DENUNCIADO (S):

A. PORTUGUESA LONDRINENSE

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. ARIEL NORBERTO LEAL

1° DENUNCIADO: A. PORTUGUESA LONDRINENSE, entidade de prática desportiva, por não pagar a taxa de arbitragem. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 191, III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

__________________________________________________________________________________________

AUTOS N. 641/2017 – EM TRÂMITE

AUDITOR RELATOR: DR. MAURÍCIO BITTENCOURT FOWLER

CAMPEONATO PARANAENSE PROFISSIONAL – 3ª DIVISÃO

JOGO: CA CAMBÉ X SC CAMPO MOURÃO

DATA: 21/10/2017

DENUNCIADO (S):

CA CAMBÉ

NICANOR MOREIRA ALMEIDA FILHO

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RICARDO MAGNO QUADROS

1° DENUNCIADO: CA CAMBÉ, entidade de prática desportiva, por dar causa ao atraso da partida em 15 (quinze) minutos, e ainda por não pagar integralmente a taxa de arbitragem. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 206 e 191, III do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

2° DENUNCIADO: NICANOR MOREIRA ALMEIDA FILHO, preparador de goleiros da entidade de prática desportiva SC Campo Mourão, por desrespeitar as decisões do árbitro principal proferindo as seguintes palavras: “apita direito essa merda, caralho”. Com tal conduta, o Denunciado praticou o ilícito tipificado no art. 258, §2º, inciso II do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

Publicação: 28/11/2017 às 18:01