Sessão: Quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

.: Pauta da 3ª Comissão Disciplinar - 14 de Fevereiro de 2018 :.

3ª COMISSÃO DISCIPLINAR

PAUTA DE JULGAMENTO DO DIA 14/02/2018

EDITAL DE CITAÇÃO/INTIMAÇÃO N° 04/2018 

De ordem do Presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Doutor Leandro Souza Rosa e nos termos dos arts. 45, 46 e seguintes do CBJD, faço  publicar o presente Edital em que são CITADAS E INTIMADAS as partes abaixo nominadas, para  que querendo, apresentem defesa pessoalmente, ou ainda, se façam representar por advogado  de  defesa, via procuração expressa, no processo contra elas movido nesta Justiça Desportiva. Torna-se público, por intermédio deste Edital, que:

 

No dia 14 DE FEVEREIRO DE 2018 ou na Sessão Subseqüente, a partir das 19:00 horas  (Quarta - Feira), serão julgados na sede do TJD/PR, sito na Avenida República Argentina, 2153 – Portão, Curitiba, Paraná, os seguintes processos:

 

AUTOS N°. 19/2018 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR: DR. SAMUEL TORQUATTO

CAMPEONATO PARANAENSE 1ª DIVISÃO DE PROFISSIONAIS - 2018

JOGO: CORITIBA FC X CLUBE ATLÉTICO PARANAENSE

DATA: 04/02/2018

DENUNCIADO (S):

CLUBE ATLÉTICO PARANAENSE

CORITIBA FC

CORITIBA FC

ANDERSON SIMAS LUCIANO

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. VINICIUS RAFAEL PRESENTE

1.°  DENUNCIADO: CLUBE ATLÉTICO PARANAENSE, entidade de prática desportiva, em razão do comportamento desordeiro da torcida atleticana: 1º Fato: Consta do relatório do árbitro principal da partida, Sr. Lucas Paulo Torezin, que as torcidas de ambos os times lançaram, uma contra a outra, artefatos explosivos. Minutos antes do início do jogo, mais precisamente as 16h55min., torcedores do atlético iniciaram o arremesso de bombas contra a torcida do clube mandante. Nesta oportunidade foram laçadas um total de 3 (três) bombas. 2º Fato: Aos 4 (quarto) minutos do segundo tempo de jogo os torcedores atlético retomaram seus ataques contra a torcida do coritiba e realizaram o lançamento de mais uma bomba, como registrado na súmula da partida. 3º Fato: Próximo ao término do jogo, aos 48 (quarenta e oito) minutos da segunda etapa, a torcida atleticana ascendeu sinalizadores, em número que não foi identificado pela equipe de arbitragem. Infrações: Pelo lançamento de um total de 4 (quatro) bombas e a utilização de sinalizadores a epd clube atlético paranaense, em virtude do que dispõe o § 2º do art. 213 do CBJD, que possibilita a penalização da equipe visitante pela conduta desordeira de sua torcida no campo do clube mandante, incorre por 5 (cinco) vezes na infração prevista no art. 213, I do CBJD, devendo ser severamente punida com as sanções cabíveis para cada uma das infrações.

2º DENUNCIADO: CORITIBA FC, entidade de prática desportiva, 1º Fato: Consta do relatório do árbitro principal da partida, Sr. Lucas Paulo Torezin, que as torcidas de ambos os times lançaram, uma contra a outra, artefatos explosivos. Minutos antes do início do jogo, mais precisamente as 16h55min, torcedores do atlético iniciaram o arremesso de bombas contra a torcida do clube mandante. Nesta oportunidade foram laçadas um total de 3 (três) bombas. 2º Fato: Aos 4 (quarto) minutos do segundo tempo de jogo os torcedores atlético retomaram seus ataques contra a torcida do coritiba e realizaram o lançamento de mais uma bomba, como registrado na súmula da partida. 3º Fato: Próximo ao término do jogo, aos 48 (quarenta e oito) minutos da segunda etapa, a torcida atleticana ascendeu sinalizadores, em número que não foi identificado pela equipe de arbitragem. Infrações: Além de ser responsabilizada pela conduta desordeira de sua torcida a epd coritiba foot ball club, por ser a mandante da partida, fica sujeita as sanções em razão da desordem perpetrada pela torcida adversária, de modo que pelos fatos narrados acima incorre, também, por 5 (cinco) vezes na infração prevista art. 213, I do CBJD.

3º DENUNCIADO: CORITIBA FC, entidade de prática desportiva, haja vista a desordem perpetrada por sua própria torcida: 1º Fato: Após ter sido alvejada pelas bombas atleticanas foi a vez torcida do coritiba lançar uma bomba contra a torcida adversária, fato que ocorreu também antes do início da partida, por volta das 16h55min, fato registrado na súmula da partida. 2º Fato: A equipe de arbitragem registrou, também, que aos 46 (quarenta e seis) minutos do segundo tempo de jogo, torcedores do coritiba arremessaram uma bola de papel contra o árbitro assistente n. 2, Sr. Wesley Waldir Marmitt. Infrações: Também em razão do lançamento de bomba por seus torcedores, contra os apoiadores da equipe adversária, o coritiba deve ser punido em razão da prática da infração capitulada no art. 213, I do CBJD. Ao passo que pelo arremesso de objeto no campo de partida e na direção do árbitro auxiliar n. 2, incorre o clube Denunciado na infração prevista no art. 213, III do CBJD, devendo ser sancionado com a punição equivalente.

4º DENUNCIADO: ANDERSON SIMAS LUCIANO, auxiliar técnico da epd coritiba foot ball club, rg n. 4.349.655-7, em razão da prática voluntária e autônoma das infrações descritas; o árbitro principal da partida registrou na súmula de jogo que foi informado pela quarta árbitra, Sra. Edina Alves Batista, que o Denunciado saiu da área técnica, invadindo o campo de jogo, portanto, em duas oportunidades. Em cada uma das duas vezes que invadiu o campo de jogo, o Denunciado dirigiu-se aos membros da equipe de arbitragem para reclamar de suas decisões, utilizando-se de palavras e expressões desrespeitosas, além de colocar em dúvida o profissionalismo e a imparcialidade dos árbitros.

Na primeira invasão, que ocorreu aos 15 (quinze) minutos da segunda etapa da partida,o Denunciado foi até o árbitro assistente n. 1 e disse você inventou a falta que saiu o gol, você tá de sacanagem com a gente”. Na sequência, após a marcação de uma falta em desfavor da equipe adversária o Denunciado praticou a segunda invasão e dirigindo a palavra à quarta árbitra afirmou “vocês estão loucos, essa falta é pra cartão amarelo", motivo que culminou na sua exclusão da área técnica. As mesmas informações foram registradas pelo delegado da partida em seu relatório. Infrações: Pelo fato de ter invadido o local da partida o Denunciado cometeu, por duas vezes, a infração prevista no art. 258-B do CBJD; visto que após invadir o campo de jogo o Denunciado reclamou de maneira acintosa das decisões da equipe de arbitragem cometeu, novamente por duas vezes, a infração capitulada no art.258, §2º, II ficando sujeitos às sanções previstas para ambos os tipos infracionais, devendo as penas serem estabelecidas de maneira individualizada para cada um dos fatos.

 

AUTOS N°. 20/2018 – EM TRAMITE

AUDITOR RELATOR:  DR. IRINEU TONINELLO 

CERTIDÃO Nº 01/TJD

DENUNCIADO (S):

MARINGÁ FC

DENÚNCIA DA PROCURADORIA: DR. RAFAEL HUMBERTO GALLE

1° DENUNCIADO: EPD MARINGÁ FC, entidade de prática desportiva, porque, conforme Certidão de Descumprimento de Decisão da Justiça Desportiva e documentos anexos a esta provenientes da r. Federação Paranaense de Futebol, não efetuou o pagamento de multa proveniente dos autos n.º 02/2018 no valor de R$600,00 (seiscentos reais). Com tal conduta, a Denunciada praticou o ilícito tipificado no artigo 223, do CBJD.

 _______________________________________________________________________________________________

Publicação: 07/02/2018 às 16:49